terça-feira, 12 de abril de 2011

Como se Alimentar na Terceira Idade

Como se Alimentar na Terceira Idade, as necessidades calóricas diminuem de 20% a 25% entre os 50 e os 65 anos. Depois desta idade, diminuem cinco a dez por cento em
cada 10 anos. Por este motivo, é essencial reduzir o consumo de calorias não nutritivas, como o açúcar, o álcool ou a gordura.
Com a idade, o apetite, o olfato e o paladar diminuem, tornando a comida menos atraente.
Muitos idosos tem dificuldade em mastigar, além disso, azia, prisão de ventre, intolerância a lactose e outros problemas digestivos aumentam com a idade. Tudo isso faz com que eles não se alimentem direito.
Assim, uma eventual má nutrição pode ser evitada dando-se atenção aos alimentos de pouco volume e calorias concentradas que sejam ricas em proteínas, vitaminas e minerais, e que são preparados de um modo saboroso.
Os alimentos de baixo valor calórico devem ser escolhidos com cuidado, pois devem conter todos os elementos essenciais nas devidas proporções. Há uma necessidade evidente de alimentos com alto teor de proteínas, minerais e vitaminas.

Necessidades proteicas
O aporte proteico não deve exceder 12 à 15 % das calorias, mas deve assegurar os ácidos aminados essenciais, em particular a Lisina, a Metionina e o Triptofano. No entanto, há que ter em atenção que os idosos adoecem mais frequentemente.
A carência proteica do idoso surge sobretudo por fatores econômicos e sociais, estados depressivos, anorexia, mau estado de dentição, entre outros fatores.

Necessidade lipídicas
É bem conhecida a relação que existe entre a gordura da dieta e os níveis de colesterol, assim como a relação deste com a arteriosclerose. Assim, as gorduras devem manter-se na proporção de 25 à 30% das calorias, sobretudo de origem vegetal (azeite e óleos alimentares ricos em gorduras monoinsaturadas e polinsaturadas), reduzindo ao máximo as de origem animal (manteiga, banha, enchidos, gema de ovo) e com colesterol alto.

Necessidades de carboidratos
Os carboidratos constituem uma fonte importante de energia. O idoso deve consumir quantidades adequadas de carboidratos, para que a glicemia se mantenha dentro dos valores normais.

Deve-se dar preferência aos carboidratos complexos representados pelos amidos, pois a absorção destes é lenta na medida em que eles devem ser previamente submetidos à digestão enzimática que os reduzirá a moléculas de glicose. Estão presentes em muitos alimentos de origem vegetal. Devem representar 50 à 60% do valor calórico total.

Necessidade de Vitaminas e Minerais
Não há dados científicos de que as necessidades vitamínicas diminuam com a idade. Por este motivo, é seguro afirmar que as pessoas idosas necessitam de todas as vitaminas da mesma forma que quando mais jovens, em especial a vitamina A, as vitaminas do complexo B e vitamina C. A melhor maneira de assegurar o aporte de vitaminas diário está na dieta variada. Quando não estiver seguro, utilize produtos farmacêuticos polivitaminados de tipo geriátrico sob orientação de um médico.

Principais carências vitamínicas do idoso:
- Vitamina D: A carência desta vitamina surge principalmente devido a dois fatores: a falta de exposição ao sol e os regimes alimentares monótonos. Ajuda na absorção do cálcio.

- Vitamina B1: A carência desta vitamina surge devido a uma alimentação pouco diversificada ou ao abuso de açúcares refinados.

- Vitamina B12: A carência desta vitamina pode levar a uma situação comum no idoso, a anemia. Participa da formação das células vermelhas do sangue e mantém os nervos saudáveis.

- Vitamina C: A carência desta vitamina surge devido a regimes pobres em vegetais e frutas.

- Vitamina E: Esta carência surge quando a relação entre a vitamina E e as gorduras polinsaturadas não são adequadas.

Os minerais precisam de ser fornecidos em quantidades semelhantes às do adulto.

- Cálcio: São necessários 800 mg deste mineral por dia. Nos casos de Osteoporose, as necessidades situam-se á volta de 1000 mg/dia.

- Ferro: As necessidades de ferro aumentam para os idosos. Na mulher, diminuem muito depois da menopausa, tornando-se iguais às dos homens. Ainda assim, são conhecidos os estados frequentes de anemia nessa fase. Essas anemias resultam, de uma alimentação inadequada (regime alimentar monótono desprovido de alimentos ricos em ferro, como a carne, os ovos, os cereais e os legumes verdes) e, por outro lado, devido a uma má absorção.

- Iodo: É um elemento importante a considerar, pois a sua falta ocasiona frequentemente estados de hipotiroidismo nas pessoas idosas.

- Sódio: A sua restrição é conveniente pelas suas relações com a hipertensão e com a insuficiência cardíaca.

Necessidade hídricas e de fibras

Os idosos necessitam de quantidades adequadas de líquidos e de fibras, a fim de evitar a obstipação (intestino preso), uma queixa entre comum entre os indivíduos nesta faixa etária.

No idoso há uma tendência à desidratação. Assim, deve-se ingerir líquidos em quantidades suficientes, mas tendo o cuidado de não ser ingerido junto às refeições. O ideal é beber no mínimo 2L de líquidos no dia.

Quanto á fibra, uma dieta normal contendo frutas, vegetais e cereais fornece uma dieta adequada neste elemento para a maioria das pessoas.

As refeições na terceira idade devem ser fracionadas em pequenas refeições mais vezes ao dia, assim como o indivíduo adulto, para que não "enche" muito o estômago (café da manhã - lanche da manhã - almoço - lanche da tarde - jantar - ceia).

As refeições devem ser preparadas para facilitarem a mastigação e permitirem uma fácil digestão, evitando a utilização de condimentos fortes e comidas gordurosas.

Além disso, as refeições devem ser atrativas em termos de aspecto, de paladar e de consistência, a fim de estimularem o apetite.

O aspecto visual da comida é muito importante. Até uma comida simples e bem apresentada poderá fazer com que o idoso sinta prazer em comer.

Dicas Gerais para a terceira Idade:

-Estabeleça horários para suas refeições
-Coma com calma e mastigue bem os alimentos
-Escolha pratos que proporcionem contrastes de cor, textura e sabor - use ervas e temperos. Uma pitada de noz-moscada ou canela pode compensar o paladar diminuído
-Beba cerca de 2L de líquido por dia. Pessoas idosas geralmente sentem menos sede ou reduzem a ingestão de líquidos devido à incontinência urinária. Isso pode contribuir para prisão de ventre e problemas renais, além de aumentar o risco de desidratação no verão
-Se você tem problemas de mastigação, não há necessidade de fazer dieta líquida. Em vez disso, prepare peixe ou carne cozida e purês de legumes, sopas e outros alimentos nutritivos
-Ingira alimentos ricos em cálcio como: leite, queijos, iogurtes, coalhadas, aveia, soja, sardinha gergelim, etc. Previne a osteoporose e mantém os ossos saudáveis
-Ingira alimentos ricos em vitamina C como: acerola, caju, goiaba, laranja, melão, banana, tomate, limão, pimentão verde. Ajuda a prevenir as infecções e melhora a absorção do ferro
-Ingira alimentos ricos em ferro como: carnes, gema de ovo, fígado, melado de cana, feijão, farelo de trigo e soja. Sua falta causa anemia, cansaço, diminuição do apetite, irritação e dores de cabeça
-Ingira alimentos ricos em vitamina B12 como: vegetais verdes, ovos, cereais, carne, fígado, peixe, feijão, queijo, miúdos, leite, banana e abacate. Participa da formação das células vermelhas do sangue e mantém os nervos saudáveis
-Vitamina D presente nos: óleo de fígado de peixe e de bacalhau, gema de ovo, raios solares, leite
-Coma mais fibras para previnir a prisão de ventre:frutas, verduras, leguminosas e alimentos integrais
-Faça atividade física diariamente sempre com uma orientação profissional.

Alimente-se de forma correta, e não deixe de fazer exercicios.

Seguidores

Google+ Badge

Postagens populares

Prestação de serviço

  • "TAMBÉM PODERÁ GOSTAR DE:"